Transcenda as tags e ofereça experiências.

O gerenciamento de tags não é só sobre tags. Trata-se de experiências.
As empresas dependem de um amplo ecossistema de tecnologias de marketing para oferecer experiências aos clientes. Na verdade, um site empresarial usa, em média, 20 tecnologias de marketing diferentes.
 
Para implantar essas tecnologias, os desenvolvedores inserem linhas de código em JavaScript, chamadas de tags, em cada página da Web onde uma tecnologia seja necessária. Além de habilitar a própria tecnologia, essas tags também conectam o fluxo de dados entre as tecnologias para proporcionar uma experiência mais coesa para o usuário.
 
Pense que uma página da Web é feita de três camadas. Na camada inferior estão as tecnologias que acionam a página. A camada do meio contém os dados produzidos pelas tecnologias. E a camada superior fornece a experiência que os visitantes veem e com a qual interagem.
 
Todas essas camadas estão interconectadas e precisam trabalhar juntas para criar experiências envolventes. É onde as tags entram. Muitas empresas tradicionalmente pensaram que o gerenciamento de tags estava confinado na camada de tecnologia, que elas eram meramente pedaços de código em HTML e JavaScript com o único propósito de instalar tecnologias em páginas da Web. Mas para oferecer experiências que realmente criem uma conexão com os clientes, todas essas tecnologias diferentes não precisam apenas funcionar, elas precisam trabalhar juntas.

As tags fazem isso acontecer ao funcionar através das camadas para transportar dados para as tecnologias e a partir delas e por fim informar a experiência do cliente. Mas no ecossistema sempre em crescimento e sujeito a mudanças das tecnologias para a Web, os sistemas de gerenciamento de tags têm uma grande tarefa. Os gerenciadores de tags da primeira geração não foram criados para sustentar esse novo sistema dinâmico. Por fim, esse problema gera experiências fragmentadas para os usuários.
 
 
 
 
separador

O problema dos gerenciadores de tags da primeira geração.

O número de tecnologias baseadas na Web que fornecem experiências aos clientes cresceu exponencialmente de cerca de 150 em 2011 para mais de 5 mil hoje. Embora a taxa de adoção empresarial dessas tecnologias continue a aumentar, as empresas precisam de flexibilidade máxima para implantar a tecnologia certa para fornecer a melhor experiência do cliente.
Para que as empresas ofereçam experiências atraentes, essas várias tecnologias não podem funcionar de forma independente porque dados valiosos dos clientes enviados para uma tecnologia não informariam as ações das outras, ou as ações de uma tecnologia aconteceriam fora de contexto em relação às ações de outra. Ao final de tudo, as empresas teriam muitas dificuldades para orquestrar uma única experiência do cliente que abrangesse várias tecnologias de marketing.
Os modelos de tags permitem que usuários menos técnicos implantem e configurem uma implementação básica de uma tecnologia de marketing sem escrever nenhuma linha de código. Isso é feito por meio de uma interface do usuário que solicita informações que o modelo traduz para JavaScript e injeta no código da página da Web.

Os primeiros sistemas de gerenciamento de tags chegaram ao mercado no início dos anos 2000 e, naquela época, os sites das empresas implantavam duas tecnologias em média. Geralmente, essas duas tecnologias operavam de forma independente uma da outra. Hoje, os sites das empresas implantam 20 tecnologias em média e muitas vezes há um subconjunto onde elas são dependentes uma da outra. Os gerenciadores de tags baseados em modelos não conseguem suportar as tecnologias complexas e interdependentes usadas atualmente porque eles não dispõem das competências para criar essas integrações. As pessoas mais qualificadas para ter uma integração com uma tecnologia de marketing são as pessoas que trabalham naquela empresa de tecnologia de marketing, não o gerenciador de tags. Os gerenciadores de tags da primeira geração se tornaram generalistas, incapazes de desenvolver integrações avançadas com os recursos avançados necessários para atender às demandas atuais das empresas e certamente também as futuras.
Os gerenciadores de tags da primeira geração criados com base em uma arquitetura fechada são incapazes de escalar e de dar suporte às necessidades das empresas de experiências, que são empresas que priorizam a experiência do cliente. Eis o motivo:
  • As empresas dependem de um ecossistema de tecnologias para ajudar a resolver seus desafios porque eles são muito complexos. Os gerenciadores de tags da primeira geração são focados na manutenção de modelos, não em fornecer soluções inovadoras para problemas futuros.
  • As empresas esperam que suas tecnologias de marketing e de anúncios trabalhem juntas. Mas os gerenciadores de tags da primeira geração proporcionam integrações superficiais que não permitem a essas tecnologias trabalhar juntas bem o bastante para atender às necessidades dos usuários.

 

 

 

 

separador

Definição de gerenciamento de tags de última geração.

Para atender às demandas das empresas de experiências, um novo tipo de gerenciador de tags é necessário. Um que seja projetado para permitir que o comportamento do cliente conduza a jornada. E que possibilite aos provedores de tecnologias de marketing inovar em seus próprios termos. Os sistemas de gerenciamento de tags de última geração podem fornecer isso ao proporcionar três recursos fundamentais.
 
1. Uma arquitetura sustentável e aberta para a máxima flexibilidade.
Devido à rápida proliferação das tecnologias de marketing, os gerenciadores de tags da primeira geração baseados em modelos simplesmente não são sustentáveis. Os gerenciadores de tags de última geração proporcionarão aos provedores de tecnologias de marketing uma maneira de criar, gerenciar e atualizar integrações como um serviço automático. Essa abordagem dá à empresa que criou uma tecnologia específica propriedade sobre integrações sofisticadas e profundas em vez de deixar essas integrações para os gerenciadores de tags. Essa arquitetura aberta dará às empresas integrações duradouras que sejam flexíveis, atualizadas frequentemente e até mesmo personalizáveis. Apenas uma arquitetura aberta pode proporcionar esse nível de suporte.
 
2. Tecnologias de marketing unificadas para gerar experiências melhores.
As integrações criadas pelos gerenciadores de tags da primeira geração são superficiais. E elas geralmente só permitem a configuração de uma tecnologia. Mas integrações de última geração permitem aos provedores de tecnologias de marketing adicionar novas funcionalidades diretamente ao gerenciador de tags.
 
Por exemplo, uma empresa que oferece um reprodutor de vídeos pode criar uma integração que adicione novas ações, eventos, condições e até mesmo dados às opções incluídas no gerenciador de tags. O reprodutor de vídeos poderia adicionar o seguinte:
 
  • Ações: reproduzir, pausar e estender o tempo de reserva
  • Eventos: reproduzir, interromper e fechar a janela
  • Condições: velocidade de conexão e resolução
  • Dados: nome do vídeo e duração do vídeo
 
Permitir que milhares de provedores de tecnologias de marketing estendam suas funções principais dentro da interface do usuário de um gerenciador de tags unificará essas tecnologias de marketing para que as empresas estejam mais bem preparadas para sincronizar e oferecer experiências em todas as tecnologias.
 
3. Implantações de tecnologias automatizadas para resultados rápidos.
Os sistemas de gerenciamento de tags de última geração são orientados por APIs abertas. Essas APIs permitem que agências e empresas automatizem até mesmo as mais complexas implantações de tecnologia.
 
Por exemplo, considere uma empresa que tem várias marcas. Cada marca tem um site separado com essas tecnologias implantadas:
 
  • Adobe Analytics
  • Google Analytics
  • Adobe Target
  • Adobe Audience Manager
  • Oracle BlueKai
  • ForeSee
  • [24] 7
  • Mais 10 outras tecnologias

 

 

separador

Pare de focar nas tags e comece a oferecer experiências.

Tradicionalmente, o gerenciamento de tags era um meio para se atingir um fim, uma maneira de gerenciar as tags necessárias para habilitar tecnologias diferentes em um site. Hoje, o gerenciamento de tags não se trata mais de tags, e sim de unificar os dados e as tecnologias para oferecer experiências incríveis.
 
A seleção do sistema de gerenciamento de tags certo é fundamental para oferecer experiências excepcionais. Os gerenciadores de tags de última geração fornecem experiências incríveis aos clientes ao facilitar para os profissionais de marketing a criação dessas experiências. O Launch da Adobe é o único sistema de gerenciamento de tags de última geração no mercado. Ele foi criado na Adobe Cloud Platform e ajuda os profissionais de marketing a fazer o seguinte:
 
  • Implantar e configurar tecnologias da Adobe e de outros fornecedores.
  • Unificar a forma como as tecnologias da Adobe e de outros fornecedores participam da experiência do cliente.
  • Coletar e distribuir dados valiosos do cliente.
 
Para saber mais sobre o sistema de gerenciamento de tags de última geração da Adobe completamente aberto e extensível, visite http://www.adobe.com/br/enterprise/cloud-platform/launch.html.
 
 
 
 
separador