Iluminação 3D: tipos de iluminação e técnicas de iluminação 3D

Banner de iluminação

A iluminação revela como enxergamos o mundo. Em ambientes reais e imaginários, utilizamos iluminação para definir a atmosfera e direcionar a atenção. Fotógrafos, cineastas, diretores e artistas 3D precisam se especializar no uso de efeitos de iluminação para reproduzir a realidade ou estilizar uma cena.

Cinco tipos de fontes de luz 3D.

Se você ainda está aprendendo técnicas básicas de iluminação ou trabalha em sistemas sofisticados, primeiro precisa entender as fontes de luz que podem ser usadas ao criar uma configuração de iluminação.

  • Luz direcional: essa fonte de luz emite raios paralelos que iluminam um objeto como se a fonte estivesse distante, como o sol. Ela ilumina todos os elementos da cena com a mesma intensidade.
  • Luz de área: essa fonte de luz é definida por um retângulo com raios direcionais que emergem de uma superfície específica. Esse tipo de luz é semelhante à luz que atravessa uma janela ou que é reproduzida por um softbox de estúdio, criando áreas luminosas de formatos específicos. 
  • Luz de ponto: é uma fonte que envia luz em todas as direções. Luzes de ponto podem ser usadas para simular a luz emitida por uma lâmpada moderna ou incandescente.
  • Luz de holofote: enquanto a luz de ponto é semelhante a uma luminária, a luz de holofote é mais parecida com uma lanterna. A luz emitida de um holofote é restringida por um ângulo específico. A intensidade da luz diminui quanto mais distante da fonte estiver um objeto, além de diminuir ao longo das bordas do cone de luz.
  • Luz de cúpula: ao escolher essa opção de iluminação, a luz ilumina a cena de cima para baixo. Ela geralmente é usada para cenas ao ar livre, recriando o efeito de luz ambiente de um céu aberto.

Iluminação de um, dois e três pontos.

Além dos diferentes tipos de luz, a quantidade de fontes utilizada definirá a natureza do ambiente 3D.

Iluminação de um ponto

Iluminação de um ponto.

Na iluminação de um ponto, há somente uma fonte de luz na cena, sem fontes complementares para preencher as sombras. É uma ferramenta útil para criar cenas marcantes de alto contraste.

Iluminação de dois pontos

Iluminação de dois pontos.

Esse método de iluminação utiliza uma fonte primária, ou luz principal, e uma fonte secundária. A luz principal é a mais forte. A luz secundária pode ser usada para ajustar o contraste ou separar o objeto do plano de fundo.

Iluminação de três pontos

Iluminação de três pontos.

Essa é uma escolha de iluminação comum em renderizações 3D, semelhante ao estilo de iluminação cinematográfico de Hollywood. Ela consiste em três fontes de luz diferentes. A luz principal é a fonte de luz mais importante sobre o objeto. A luz de preenchimento ajuda a controlar o contraste, atenuando as sombras da luz principal. A luz de contorno, ou luz de recorte, é uma luz forte posicionada atrás do objeto para ajudar a separá-lo do plano de fundo.

Quatro dicas para criar uma iluminação 3D realista.

Estude o mundo real.

A iluminação 3D é uma arte. Assim como em outras formas de arte, é preciso começar pela observação para dominá-la. Estude como a luz muda no decorrer do dia, a mistura de fontes naturais e artificiais que iluminam os locais por onde passa e como mover as fontes de luz de uma sala pode alterar sua aparência.

Mantenha a simplicidade.

Em uma cena 3D durante o dia e ao ar livre, até duas fontes de luz costumam ser suficientes. Na vida real, o sol normalmente fornece a maior parte da luz, então uma cúpula pode ser usada para simular o jogo de luzes e sombras comum em cenas ao ar livre. Geralmente, não há necessidade de luzes de ponto, de holofote nem de outras fontes de luz.

Assista a filmes.

Cineastas são especialistas em design de iluminação. Iniciantes podem aprender muito assistindo a filmes aclamados por suas técnicas cinematográficas.

Brinque com luzes sutis.

Ao iluminar cenas com fontes indefinidas posicionadas fora do quadro, é possível criar uma imagem mais misteriosa e, ao mesmo tempo, mais fiel à vida real. Assim o mundo não parecerá confinado ao limite da composição.

Pense também nas cores.

Embora a direção e a natureza da fonte de luz sejam o foco principal, pense também na qualidade da luz. Diferentes tipos de luz (totalmente branca, azulada e amarela, por exemplo) resultam em ambientes diversos.